20 de novembro de 2018 - 11:57

Polícia

02/11/2018 10:23 Noticias de Hoje e HiperNoticias

Acusado de matar amigo foi ao velório da vitima

A forma brutal com que Vanderson Daniel Martins dos Santos (Vandeco), de 21 anos, matou o estudante de Direito e motorista de Uber Pedro Victor de Almeida, de 18 anos, teria acontecido de maneira premeditada. Em depoimento à delegada da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) Jannira Laranjeira, o acusado confessou ter assassinado o jovem e que cometeu o crime por conta de uma dívida.

Vandeco (como era conhecido por amigos) e a namorada Nathaly Alanes Barbosa dos Santos Silva, de 19 anos, foram presos pela Polícia Civil, na manhã de quinta-feira (1), no bairro da Manga, em Várzea Grande pelo envolvimento no crime.

Conforme a investigação, mesmo após a confirmação da morte do amigo, o casal foi até a capela onde o universitário era velado, no bairro Cristo Rei, também em Várzea Grande. Porém, a dupla não entrou no local.

 “Após a morte da vítima, Vanderson e a namorada foram ao velório. Eles ficaram na frente do local, mas não entraram na capela onde o corpo estava sendo velado. No entanto, ainda não sabemos por qual motivo o casal foi até o endereço”, disse a delegada responsável pelo caso.

 A delegada explicou que, na madrugada da data do crime, Pedro estava na casa dos pais, quando recebeu uma ligação por volta das 01h30. Depois da conversa, o universitário disse aos pais que iria sair. Estes insistiram para que o filho não saísse aquela hora, mas Pedro não atendeu ao apelo e foi ao encontro do suspeito. 

 Antes de chegarem ao local do crime, Pedro e Vanderson passaram em uma distribuidora e compraram algumas latas de cerveja. Logo depois, eles foram até o bairro Princesa do Sol e durante uma discussão dentro do carro da vítima, o acusado teria sacado uma faca e desferido vários golpes no amigo. Ele ainda caminhou por alguns metros e pediu socorro aos vizinhos, mas não resistiu aos ferimentos e logo em seguida. O assassino fugiu após o crime.

 Investigação

Após a morte, policiais foram até o local para dar início aos trabalhos de investigação. Dentro do veículo, havia manchas de sangue na porta do motorista, volante e uma poça no chão do mesmo lado. Também havia sinais de sangue do lado externo do veículo.

Segundo a perícia, as manchas indicam que, além de Pedro, havia mais duas pessoas dentro do carro, em razão das marcas de sangue encontradas nas maçanetas de ambas as portas do automóvel.

 Essa terceira pessoa seria Nathaly. Entretanto, a suspeita disse que, na hora do crime, estava na casa de Vanderson com o filho de 11 meses. Ela relatou que dormiu na casa dele, local onde também funciona lava jato do suspeito.

na delegacia, o acusado confessou, mas se negou a informar o nome da terceira pessoa que participou o crime. "Ele confessa que matou, mas não inclui a terceira pessoa", disse a delegada.

 


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.