22 de junho de 2021 - 04:38

Esporte

10/06/2021 14:00

Sylvinho lamenta eliminação do Corinthians e diz: "Não há tempo"

Globo Esporte

 

Técnico do Corinthians, Sylvinho foi à sala de imprensa do estádio do Atlético-GO, em Goiânia, para tentar explicar a eliminação de sua equipe da Copa do Brasil. Em 180 minutos de confronto, o Timão sequer conseguiu marcar gols no rival e acabou eliminado precocemente na terceira fase do torneio após o 0 a 0 desta quarta-feira.

Para o técnico, faltou "algo a mais", que precisa ser urgentemente encontrado para que o time melhore. Ele não se mostrou otimista quanto à possibilidade de receber reforços.

– Está alinhado com a diretoria, nós conversamos. São quatro jogos, tenho quase quinze dias no clube, embora conhecer muito, o que acelera processos. Mas enfim, é uma aresta que é superior, vamos seguir trabalhando. Estou contente com a entrega e determinação dos jogadores, principalmente hoje. Mas precisamos de algo mais, e vamos em busca disso. Por outro lado, nós temos que buscar meios para buscar um time ideal. O Corinthians não tem seus onze titulares. Temos jogadores que vão revezando nas posições. Vamos buscar os links ideais para ter melhores performances e resultados em campo – disse.

Sylvinho voltou a falar que faltou "algo" ao Corinthians nas duas partidas contra o Dragão.

– Em relação a entrega, raça, dedicação, não tenho nada o que dizer. Estamos em busca de uma construção de time, não é simples. Nos faltou, na eliminatória, algo. Quando falta algo temos que trabalhar e buscar alternativas. Vamos continuar seguindo em busca dessa construção desse time. O trabalho vai da parte defensiva, meio-campo, construção e finalização. Vamos trabalhar nos atletas, com vídeos, com amostragens, para estar corrigindo o que falta. Vamos buscar isso – analisou.

Sobre reforços, o técnico ainda agregou:

– Nós temos trabalhado forte todos os dias. É o que tem que ser feito. Alinhado muitas vezes com a diretoria. A diretoria sabe, desde que me procurou conhece o elenco e as situações. Está alinhado, sim, sabem onde podemos tocar. Vão se manifestar quando tiverem que se manifestar. Estou trabalhando com os atletas, feliz com a entrega da grande maioria deles, não fiquei feliz um dos quatro jogos, mas eles têm entendido e tentado organizar da melhor forma possível. É o segundo jogo sem tomar gol. O trabalho é rápido, mas algumas coisas têm que ser colocadas. Estamos mais seguros na parte defensiva, temos que continuar trabalhando para melhorar outras partes do time.

Só com o Brasileirão para disputar, o Corinthians volta a campo neste sábado, para enfrentar o Palmeiras, às 19h (de Brasília), pela terceira rodada, no Allianz Parque.

Veja outros pontos da entrevista coletiva de Sylvinho:

Quarenta e quatro cruzamentos errados no jogo
– Nós estamos buscando essa correção de cruzamentos. Buscamos a situação de um cruzamento mais baixo passando pela área. Nosso time tem uma estatura baixa, sem um centroavante de referência, então parte dos treinamentos da parte ofensiva, como comportamento, temos buscado tirar esse cruzamento. Está excessivo, foram quarenta. Mas muito mais esses cruzamentos altos, os mais baixos para trás são os que a gente fomenta. Mas está correto, estamos corrigindo para trabalhar em combinações melhores de jogadas e até chutes ao gol. A correção já é para que esse cruzamento venha por baixo, repito.

Como fica o planejamento?
– Infelizmente, um clube muito grande que já tem a terceira eliminação no ano. Temos o Brasileiro, que recentemente começamos. Um campeonato difícil. Temos que competir, ser dignos, ser firmes, trabalhar nessa construção. Buscar sempre uma performance melhor e resultados melhores. Temos que dar passos para frente. É trabalho, dedicação, correção, são conceitos e comportamento, e isso vamos fazer todos os dias. Temos o Brasileiro, vamos lutar para fazer um campeonato digno de Corinthians.

Nível de satisfação com o elenco
– Sim, está alinhado com a diretoria, nós conversamos. São quatro jogos, tenho quase quinze dias no clube, embora conhecer muito, o que acelera processos. Mas enfim, é uma aresta que é superior, vamos seguir trabalhando. Estou contente com a entrega e determinação dos jogadores, principalmente hoje. Mas precisamos de algo mais, e vamos em busca disso. Por outro lado, nós temos que buscar meios para buscar um time ideal. O Corinthians não tem seus onze titulares. Temos jogadores que vão revezando nas posições. Vamos buscar os links ideais para ter melhores performances e resultados em campo.

Problemas em jogadas de profundidade
– Sim, está correta observação. Já faz um período que o Corinthians tem buscado, e está alinhado, vai ser feito no determinado momento. Temos que seguir. Volto a dizer, não há tempo, temos que buscar soluções. Meu trabalho é buscar soluções, organizar a parte defensiva, entender qual o melhor link, os atletas de meio que se completam, dar uma cara para esse ataque. Coordenadas, conceitos e ideias para surgirem mais oportunidades de gols.

Emocional dos atletas afetou desempenho?
– Não, emocionalmente, não. Eu corrigi os atletas, pedi ao quarto árbitro, não nos interessava aquela discussão, parar o tempo todo. O ritmo do jogo já foi diferente no segundo tempo. O adversário já começou a cortar lances, enfim, faz parte, queremos um jogo mais jogado, mas é do jogo. Eu já fui corrigir, não nos interessava o jogo parado. Queríamos mais andamento. O time até respondeu nesse caso com determinação, positivamente. Tivemos chances pontuais que podíamos ter mais sorte. Enfim, não foram muitas, mas uma melhor sorte talvez poderíamos ter. Mas infelizmente não ocorreu.

Alterações na equipe
– O Vital é mais atacante, e o Araos é mais meia. O Vital é praticamente o artilheiro do time, um atleta que nós tínhamos, pela potência e por ser esse atacante, pudesse dar mais profundidade. As demais substituições vieram em outros links, você tem o Jô que cobre mais a área. O Adson é um jogador jovem, promissor, mas que tem mobilidade, poderia fazer a jogada por dentro. Quando fala dos três volantes, entendemos que podemos ter mais consistência para poder estar no campo adversário. Temos o Cantillo por trás, um atleta fabuloso nessa entrega de bola, fez muitas inversões. Quando a gente diz que o Gustavo fez um bom jogo, teve o um contra um, isso se deve ao Cantillo. Quando você não tem um meia, utiliza um primeiro volante com qualidade incrível e que facilitou. A última tínhamos o Natel, que dentro da área é potente, forte, foi para dar mais consistência ao lado do Jô. Nenhuma foi de correção, foi para potencializar o time.

Vital x Araos
– Eu estava explicando que o Vital era importante, artilheiro. Hoje entrou Araos, amanhã pode voltar ele, voltar Araos. Temos atletas próximos com características diferentes, vamos trabalhar para melhorar o time, sem compromisso individual com ninguém. Quando se fala em três volantes, é a consistência que encontramos para ficar no campo adversário. Não temos um meia para dar sustentação para dois volantes. Esses dois também temos buscado uma conexão entre eles, é importante ter equilíbrio, e se não encontramos em dois, encontramos em três. Com três, o Cantillo desenvolve mais o jogo dele, por isso temos buscado o Roni também.

Clássico contra o Palmeiras
– Um jogo diferente, eu vivi, conheço a casa. Vai ser tratado dessa maneira. É pouco tempo, mas vamos trabalhar com o pouco tempo que temos. O jogo é diferente, é de um grande nível. Por outro lado, não trato em relação ao adversário. Nossa eliminação dói, um segundo jogo de entrega, mas faltou algo. Com relação ao adversário, sua eliminação, não diz respeito a nós.

Posicionamento de Luan
– O Luan é um meia, que não é de sustentação. Ele, bem preservado pelo meio-campo, é um meia, sim. Não faz lado de campo, mas pode fazer o falso nove, e é o que tem feito com a gente. Na medida em que os links melhorem, ele pode desenvolver mais. Temos o Gustavo pela direita, temos buscado outros links. Luan não é um meia de ficar na frente do volante adversário, é de flutuação, tem que estar em zonas mais limpas para produzir. Estamos buscando o melhor.

Gustavo Mosquito como falso nove?
– Correto. Inclusive ele já o fez em um dos jogos. Na metade do jogo, quando perdemos imposição, situação de meio-campo, abrimos ele na direita e voltamos com o Luan. É um atleta que está em boa forma, tem sido uma diferença grande para nós. Saiu esgotado, deixou tudo que podia. Tem sofrido os pênaltis, teve uma situação de gol hoje. É um atleta que pode fazer, com mobilidade, ajustando uma situação para ajudar, ele domina o lado direito, sei que vem de uma base jogando com pé contrário, podemos testar. Temos que testar tudo para que as coisas funcionem.


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.